Calvície Feminina

Calvície Feminina

Ao contrário do que muitos pensam, mulheres também sofrem com a calvície e este é um problema bem mais comum do que se imagina. Estima-se que 1 em cada 5 mulheres sofra com algum problema relacionado a queda de cabelo. No entanto, a maioria desses problemas pode ser tratada através de procedimentos clínicos.

A queda de cabelo feminino pode ser causada por diversos fatores, como gravidez ou dieta não adequada. Em alguns casos, nos quais fatores genéticos são a causa da queda, pode haver a necessidade de um tratamento cirúrgico.

Quando causada por uma predisposição de origem genética materna ou paterna, a calvície feminina, também conhecida como Alopécia Androgenética, atinge a parte frontal ou o couro cabeludo como um todo.

Na mulher, a calvície torna o cabelo ralo e fino, porém ocorre de forma mais sutil que no homem, podendo assim, ser disfarçada pelo penteado. Este problema tem origem no início da puberdade, sendo acentuado entre os 30 e 50 anos de idade.

Quais são as causas da calvície feminina?

Diferentemente da calvície masculina, que na maioria dos casos é totalmente de origem genética, a calvície feminina se mostra mais complexa no momento de compor o seu diagnóstico. Isso porque as mulheres costumam fazer uso de medicamentos hormonais, dessa forma a queda pode ser desencadeada pelo início ou interrupção da utilização de anticoncepcionais, ou outros fatores como a menopausa ou o pós-parto.

A calvície feminina também pode ser causada pela conversão do hormônio masculino, a testosterona também presente na mulher em menor quantidade, em sulfato de deidoepiandrosterona por intermédio de uma enzima conhecida por 5 alfa redutase. Esse sulfato causa o afinamento e a queda dos fios. Na mulher a 5 alfa redutase se encontra em menor quantidade do que no homem, porém é mais concentrada na região frontal, causando assim o raleamento dos fios neste local.

Quais os tratamentos para a calvície feminina?

Os tratamentos para a calvície feminina são de dois tipos: clínico e cirúrgico. O tratamento clínico só é eficiente nos casos em que a calvície não tem origem genética. Existem diversas técnicas para o tratamento clínico da calvície feminina com o auxilio de medicamentos tópicos e a estimulação do couro cabeludo. A laser terapia é também uma recente técnica de tratamento para a calvície que ocorre em mulheres.

O tratamento cirúrgico traz resultados definitivos, porém só é indicado para casos em que a calvície se encontra em estágios mais avançados e para pessoas cuja área doadora não esteja comprometida. É importante lembrar que o transplante capilar não é uma cirurgia exclusiva para o público masculino, podendo, assim, a mulher se beneficiar com essa técnica de tratamento para o seu tipo de calvície também.

Quais os resultados do tratamento da calvície feminina?

Técnicas cada vez mais avançadas, somadas a um especialista altamente capacitado e bem equipado, têm mostrado resultados positivos e naturais que devolvem a autoestima a muitas mulheres que sofrem com a calvície.

Como ter o diagnóstico correto da calvície e qual a sua importância?

A folicoscopia,  também chamada de dermatoscopia, e a tricoscopia são imprescindíveis para o diagnóstico da causa da queda de cabelo ou qualquer outra alteração capilar. Esses exames permitem avaliar a condição dos fios e do couro cabeludo e são importantes para ajudar a encontrar o tratamento mais efetivo para cada caso. A folicoscopia determinará se será necessário um tratamento clínico ou cirúrgico e a gravidade do Polimorfismo, informação relevante caso seja indicado o tratamento de implante capilar.

Conheça os tratamentos clínicos para calvície feminina.

Clique aqui

Tratamento clínico ou cirúrgico, qual é o ideal para você?

Conheça o exame de folicoscopia